Tribuna do Interior

Tocantins, Segunda-feira, 26 de outubro de 2020.
29/09/2020 - 11h14m

ATM passa a produzir energia própria com sistema solar fotovoltaico; "Energia limpa com economicidade", diz Jairo Mariano

Victor Morais/Ascom ATM 
Foto: Ascom ATM

O auditório Manoel de Paula Bueno, bem como o Hotel e Sede Administrativa da Associação Tocantinense de Municípios (ATM) possuem agora matriz energética própria, após instalação de sistema solar fotovoltaico, que permite a entidade municipalista gerar sua própria energia elétrica. Com a presença de colaboradores e prefeitos, a tecnologia foi inaugurada nesta quarta-feira, 23, quando o presidente da ATM e prefeito de Pedro Afonso, Jairo Mariano, disse que a tecnologia trará "energia limpa com economicidade" para a entidade.

Economia

Ao todo, cerca de 200 placas foram instaladas nas três dependências da entidade municipalista, nos últimos dois meses. Juntas, as ferramentas tem capacidade de produzir 22 mil KW/mês, o que de imediato já gera uma economia de 85% nos custos da ATM com energia elétrica. "Anteriormente, somadas às faturas dos três prédios, o montante girava em torno de R$18 mil ao mês, o que reduziu para mil e setecentos reais após implantação da energia solar", revela o presidente da ATM.

Jairo Mariano lembra que a implantação do sistema solar fotovoltaico atende aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, das Nações Unidas, especificamente a meta 07, Energia Limpa e Acessível.



Investimento

Para implementar a tecnologia energética, a ATM investiu cerca de R$ 350 mil, montante angariado com a economia da suspensão do serviço hoteleiro da entidade neste momento de pandemia. "Desde março nosso hotel encontra-se fechado, o que fez sobrar recursos consideráveis em nosso caixa. Praticamente, não houve despesa adicional para a Associação, pois trata-se dos recursos que pagaríamos na manutenção do hotel, reinvestidos no investimento da energia solar", explica Mariano.

Nos cálculos da empresa que instalou o sistema solar fotovoltaico, o retorno do investimento pode ser alcançado em até dois anos. Ainda, a entidade municipalista passa a ser uma unidade produtora de energia, e a sobra gerada se transforma em créditos que poderão abater na fatura de luz, num prazo de cinco anos, a contar do dia em que foram gerados.

Fomento

O uso da energia solar fotovoltaica cresceu no Brasil 14,4% neste primeiro trimestre de 2020, quando comparado ao mesmo período de 2019, aponta a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR). "A ATM fomentará aos associados à ideia de implementar o sistema de energia solar de forma gradual nos Municípios, para que os entes locais também tenham sua matriz energética e busquem a produção de energia limpa, contribuído com um planeta cada vez mais sustentável", finaliza Mariano.

© 2015 - Tribuna do Interior - Todos os direitos reservados.
Expediente