Tribuna do Interior

Tocantins, quarta-feira, 15 de julho de 2020.
06/01/2016 - 14h57m

Sintras avisa que greve não termina sem discussão sobre condições de trabalho e agenda para atender reivindicações

Do Portal CT Com informações da Ascom do Sintras e da Secad 
Foto: Ascom Secad
Secretário Gefferson Barros durante reunião com Manoel Miranda e diretores do Sintras
Secretário Gefferson Barros durante reunião com Manoel Miranda e diretores do Sintras

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde no Estado do Tocantins (Sintras) avisou o secretário estadual da Administração, Geferson Barros, que não abre mão da greve sem iniciar com o governo uma discussão sobre as condições de trabalho dos servidores nas unidades de saúde, e sem definir uma agenda para solucionar todas as reivindicações dos profissionais da saúde. O presidente do Sintras, Manoel Pereira de Miranda, e Barros se reuniram na tarde dessa terça-feira, 5. O movimento grevista chega ao seus 31º dia nesta quarta-feira, 6.

Miranda destacou sobre os atrasos dos adicionais noturnos de dezembro, solicitando o cumprimento integral do plano de carreira normalmente. Ainda ressaltou também sobre os atrasos das publicações dos estágios probatórios, bem como o não cumprimento do acordo referente o pagamento das progressões. O sindicalista também destacou os passivos pendentes do adicional noturno e insalubridade.

O secretário Geferson Barros afirmou que agendará outra reunião, mas o Sintras exigiu que o próximo encontro tenha a participação dos gestores das Secretaria da Administração e da Saúde.

Conforme o Sintras, a greve dos servidores continua até que o Estado apresente uma solução para a situação. "Caso contrário, o movimento ganhará adesão de mais cinco hospitais do Estado sendo de Arapoema, Araguaçu, Pedro Afonso, Porto (maternidade Tia Dedé) e Palmas (Hospital Infantil)", afirma o sindicato em nota.

Dificuldades financeiras
Após a apresentação da pauta de reivindicações do Sintras, o secretário reiterou as dificuldades financeiras do Estado, mas também a disposição em construir uma proposta de consenso. Também se dispôs a marcar uma agenda interna com o secretário da Saúde, Samuel Bonilha, para tratar das demandas.

A expectativa é que, no próximo encontro, seja apresentada uma proposta visando o fim da greve. (Com informações da Ascom do Sintras e da Secad)

© 2015 - Tribuna do Interior - Todos os direitos reservados.
Expediente