Tribuna do Interior

Tocantins, Terça-feira, 28 de junho de 2022.
14/06/2022 - 22h57m

Em Taguatinga (TO), Valdemar Sarafim pega 16 anos de reclusão. Matou mulher a pauladas e jogou no rio

Do Portal Dinomar Miranda/Com Informacoes da TJ/TO 
Foto: Eduardo Revoredo

O réu Valdemar Sarafim dos Reis foi condenado a 16 anos de prisão em Taguatinga (TO), sudeste do estado.

Ele matou, em 15 de junho de 2020, sua companheira, Almira Rodrigues da Costa, a pauladas e jogou o corpo num rio, no Povoado Manoel Alves, zona rural de Taguatinga.

A pena dele foi agravada em razão da caracterização de feminicídio, quando o crime é cometido em razão de a vítima ser mulher.

O Conselho de Sentença também acatou a tese do Ministério Público de que o réu agiu por meio cruel.

Homicídios tentados

Ainda em Taguatinga (TO), um outro Tribunal do Júri condenou Diomar de Souza Santos e Lusineide Xavier Santos a 10 anos de prisão por tentativa de homicídio qualificado – por utilização de recurso que dificultou a defesa da vítima e emboscada.

De acordo com a denúncia criminal, os réus tentaram matar Acácio da Conceição Viana e Helielton Cardoso dos Santos, no dia 19 de outubro de 2012, nas imediações da Fazenda Move Terra, na zona rural de Taguatinga.

Acácio foi atingido por dois tiros e Helielton não foi atingido, apesar de os projéteis terem sido disparados em sua direção.

Ainda na semana passada, Leonardo Pereira Maceno foi condenado a três anos de prisão por tentativa de homicídio.

Segundo o MPTO, no dia 9 de junho de 2019, o réu tentou matar Felix da Silva Santos no Setor São Paulo, também em Taguatinga.

De acordo com as investigações, Felix tentou impedir que sua irmã fosse agredida pelo ex-companheiro, Leonardo.

Após discutir com a vítima, o réu pegou uma espingarda e desferiu um tiro na direção do rosto de Felix, atingindo-o na região do pescoço.

As sustentações orais, nos júris, foram feitas pelo promotor de Justiça Lissandro Aniello Alves Pedro, titular da 1ª Promotoria de Justiça de Taguatinga.

© 2015 - Tribuna do Interior - Todos os direitos reservados.
Expediente